Elas no comando: Núcleos com professoras se destacam no CEE IV

O Dia Internacional da Mulher é um marco na luta pela afirmação de dignidade e contra todas as formas de violência e descriminação. Por esse e por vários outros motivos, celebrar suas conquistas todos os dias é de suma importância.  No Centro de Excelência no Esporte – CEE IV, projeto do Instituto Brasileiro de Excelência no Esporte &Cultura (IBEEC), três mulheres comandam dois dos núcleos em destaque: Núcleo de Entre Rios de Minas e o Núcleo de São Brás do Suaçuí.

O núcleo de Entre Rios está em seu segundo ciclo e, desde o começo, muitos professores passaram pelo comando das aulas. Em 2018, Jheniffer Iane, 25, começou como estagiária e logo assumiu mais responsabilidades. “Foi no IBEEC que tive minha primeira experiência como professora. Aprendi muita coisa e continuo a aprender tanto com os outros profissionais quanto com os alunos. É uma experiência que eu falo que levarei por resto da vida”, contou Jheniffer.

No mesmo núcleo está Leidiane Andrade, 23, atual estagiária. “No projeto todas as aulas são bem planejadas para que os alunos aproveitem ao máximo a oportunidade que lhes foi dada. Hoje, os meus objetivos profissionais são voltados a projetos sociais e pretendo continuar incentivando o esporte, para crianças e adultos, como forma de adquirir mais qualidade de vida. ”, destacou.

Comandando o núcleo de São Brás do Suaçuí, Adele Pereira é uma professora super versátil e está implantando novas modalidades esportivas na cidade. “Sou apaixonada por esportes e, trabalhar com crianças e adolescentes com o objetivo de ajudar na formação através do esporte, é muito gratificante. Para atingirmos um público diversificado, levantei a questão de ofertarmos mais opções de modalidades. ”, disse.

Nos levantamentos por gênero do projeto CEE, o público feminino ainda é o menor. Segundo a pesquisa do Ministério do Esporte, 2013, mulheres até os 15 anos têm dificuldades para praticar esportes. Os motivos giram em torno de falta de tempo e outras prioridades como estudos, pouco acesso a instalações esportivas, além de desmotivação e poucas informações sobre a importância da pratica de atividades físicas regulares.

Muito tem se falado sobre empoderamento feminino e, o que estas professoras fazem com 150 beneficiados, entre 7 e 15 anos, é um grande exemplo. Jeniffer, Leidiane e Adele são três mulheres profissionais buscando seu lugar ao sol no mundo dos esportes e o IBEEC tem orgulho de dizer que elas fazem a diferença.

Ainda estamos longe do ideal, tanto no número de profissionais do sexo feminino quanto no número de meninas beneficiadas. Mas, o nosso papel, hoje, é incentivar e promover maior acesso ao esporte de forma democrática e inclusiva a todos os públicos.